Um azar nunca vem só

A cidade de Grand Tower, no Estado do Illinois, é, de acordo com uma reportagem publicada na revista ‘Time’, a cidade mais “azarenta da América”. Situada precisamente na área correspondente à “Nova área sísmica de Madrid”, uma das mais violentas do continente americano, a cidade é constantemente atacada por cheias e os terramotos não são invulgares.

Agora, com a subida do Mississippi, o perigo de a cidade ser atacada pelas águas deixou de ser possível; é, nesta altura, certo que a cidade de Grand Tower vai sofrer com a subida do nível das águas.

Para ajudar à festa, o Governo Federal retirou o seguro contra as cheias. De acordo com as autoridades, se as populações de Grand Tower não se esforçam para fazer as melhorias necessárias e recomendadas em estudos conduzidos pela FEMA (Federal Emergency Management Agency) e que passam pelo levantamento de alguns prédios em relação ao nível médio das águas do rio, então o dinheiro dos contribuintes americanos não será gasto para ajudar essa cidade.

O problema é que Grand Tower é das cidades mais pobres da América. Muitas pequenas cidades com as quais desenvolvia relações de comércio foram desaparecendo, graças a calamidades como as cheias. Para se ter uma ideia, o último restaurante da cidade fechou em… 1993, data da última grande cheia.

Sem ligação à Internet nem livrarias por perto, restam à cidade pequenos negócios familiares e habitações avaliadas em $ 20.000.

De acordo com as últimas informações, as cheias do Mississippi estavam a apenas a duas horas de distância de Grand Tower. Vinte e um condados do Illinois e todo o Estado do Mississippi foram declaradas “áreas de desastre”. Os diques que aguentam o Rio Mississippi já têm várias fissuras.

“Desejamos pelo melhor, mas estamos à espera do pior”, diz o ‘mayor’ de Grand Tower, Burke Ellett. Se as águas destruírem a cidade, provavelmente não haverá dinheiro para a reconstruir.

“Somos apenas uma cidade que tenta sobreviver e não temos dinheiro para as reparações exigidas pelo Governo”, disse o presidente da câmara à Time. A única assistência que está assegurada é alojamento temporário e alimentação, caso a cidade seja afectada pelo temporal. Situação à qual responde, de forma cínica, o presidente Ellet “Isso é que é muito humanitário”.

Durante os próximos dias, as pessoas de “Grand Tower” vão estar à espera do Mississippi. Depois, veremos se restará alguma coisa pela qual valha a pena esperar.

Esta entrada foi publicada em Política, Sociedade. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s