E Kennedy volta a Berlim

Faz todo o sentido comparar a visita de Obama, hoje, a Berlim à de Kennedy, nos anos sessenta em plena Guerra Fria.

E faz sentido porque se tratam de duas figuras que mudaram o panorama político americano e por razões muito semelhantes. Tanto um como outro apareceram para quebrar com a monotonia da política americana, inspirando as pessoas e motivando-as com o seu discurso de mudança.

A antecipação com que Obama foi esperado nas portas de Brandenburg é elucidativa da importância que o resto do Mundo vota às eleições americanas. E, a simpatia que reúne na Alemanha marca, claramente, a vontade geral da Europa em ver Barack à frente do aliado americano.

McCain, o carrancudo conservador republicano não entusiasma as massas como Obama e é visto como o garante da manutenção do essencial da política externa de Bush. Obama, esse, é sangue novo e as pessoas depositam nele as maiores esperanças. O carinho e entusiasmo com que foi recebido na Europa demonstram, aliás, que não são só os americanos que querem um discurso de mudança.

Estas eleições, mais do que outra coisa, mostram que o Mundo presta muita atenção aos EUA. Na verdade, independentemente das decisões políticas que os diferentes governos de Washington assumem, há quase que uma natural aceitação do seu papel e em cada país se vão escolhendo os candidatos favoritos, quase como se todos pudessem votar nas eleições.

Se a corrida à Casa Branca fosse uma decisão global, não há dúvidas de que Obama sairia vencedor. Mas, como não é, e o Partido Republicano mantém intactas as suas bolsas de apoio internas, o resto do Mundo vai ter de esperar para ver se o “seu” candidato é eleito pelos americanos.

E, agora, resta ver se Obama repete algo na linha do que disse Kennedy. O presidente assassinado no Texas e chorado por todo o Mundo disse, na sua passagem pela então dividida Berlim, que também era berlinense – Ich bin ein Berliner. Obama, que já fez menção ao muro, pode sair-se com algo do género. É so ficar à espera. E assistir à criação de um mito.

Esta entrada foi publicada em Diversos, Política. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s