Do nojo

Paulo Bento estava chateado no final do jogo com o Porto para a Taça de Portugal. Compreensível, porque tinha perdido. Ainda mais compreensível, o Sporting fez uma jogatana na primeira parte e na segunda acabou traído por um golpe de individualismo de Hulk e pela lentidão desgraçada de Rochemback.

Claro que Caneira também não ajudou à festa. O defesa foi expulso, e bem expulso, tal como Pedro Emanuel e Hulk. Aliás, no capítulo disciplinar o árbitro esteve bem e, quanto muito, ficou por assinalar uma grande penalidade a favor do Porto . De resto, tudo normal num jogo muito intenso.

Mas quando se tem jogadores que batem penalties como Abel, é difícil ganhar quando tudo fica para ser decidido nesses livres directos. E, naturalmente, depois ficamos todos muito nervosos e dizemos coisas irresponsáveis que não ajudam, em nada, a criar bom ambiente em redor do futebol.

Coisas que ninguém com responsabilidades deve dizer, coisas que o treinador de um clube como o Sporting não deve, sequer, pensar.

“A Arbitragem portuguesa, os problemas da arbitragem, tudo isso mete nojo. Penso que o Sporting tem sido demasiado simpático”, disse o treinador.

Bento até abordou a profissionalização dos juízes, dizendo que se isso vier a acontecer os árbitros passam de simples “incompetentes” para “profissionais incompetentes”.

Ontem à noite, quem meteu nojo foi Paulo Bento.

Esta entrada foi publicada em Desporto. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s