A Momentary Lapse of Reason

Não é em vão que recorro ao título do evitável álbum de 1987 dos Pink Floyd neste meu regresso à blogosfera. Tal como aconteceu com o grupo inglês, também eu passei este último ano por um estado de afastamento e de alguma letargia. No caso de Gilmour, Mason e Wright os motivos eram outros, no meu tratava-se de uma necessidade em desligar o interruptor d’O Eclipse e colocá-lo em modo de hibernação.

Quase doze meses volvidos, sinto que está na hora de regressar. E tanta coisa aconteceu entretanto. O Governo caiu, depois da crise política mais estúpida de sempre, alguns dos eternos regimes autocráticos do Magrebe e Norte de África também tombaram, uns de forma mais fácil que outra, e os Estados Unidos voltaram a liderar uma carga militar sobre um país árabe, ainda que entretanto tenham passado a liderança a outros.

O campeão nacional de futebol, o Benfica, vai deixar de o ser em breve, mas não este fim-de-semana. O campeão mundial é o nosso vizinho ibérico, que conquistou o título depois de eliminar a selecção portuguesa com um golo em fora-de-jogo. O Carlos Queirós, anterior seleccionador nacional, foi despido não por ter insultado a mãe do senhor da ADOP mas por ter acusado o vice-presidente da FPF de ser a “cabeça do polvo” que o queria tramar. O processo está em tribunal.

Tal como esteve durante muitos anos o caso da Casa Pia que conheceu o seu primeiro desfecho em Setembro, com a condenação de quase todos os acusados. Mas entre recursos e pedidos de um novo julgamento, todos esperamos pelas sequelas para ver como essa história se vai resolver.

O país está endividado até ao pescoço e o Governo não acertava com os PECs. Após o terceiro, a oposição disse não estar interessada em ver um quarto. Sócrates achou que era disso que nós precisávamos e avançou na mesma, sem informar Cavaco ou Passos. Estes não gostaram de ser ultrapassados e chumbaram a medida, à sombra da recente reeleição de Cavaco e das inspiradoras sondagens em tons de laranja.

O país e o Mundo estão, em traços muito gerais, assim, a atravessarem também eles momentos em que a razão está ausente. Esperemos é que esta fase passe rapidamente e sem deixar sequelas.

O Eclipse está de volta.

Esta entrada foi publicada em Diversos, Eclipses, Sociedade. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s